Análise de causa raiz: quando utilizar e como fazer
Início » Gestão de Projetos » Análise de causa raiz: quando utilizar e como fazer

Sem tempo para ler?

Análise de causa raiz é uma metodologia que pode ser utilizada e adaptada a vários setores e ocasiões. A intenção é analisar com eficácia as falhas e problemas que acontecem na empresa e por qual motivo aconteceram.

Análise de causa raiz: quando utilizar e como fazer

Essa técnica serve tanto para o cotidiano laboral de pessoas físicas ou jurídicas. Utilizando-se de instrumentos e objetos específicos, é possível alcançar a compreensão da causa raiz do problema.

Analisar a causa raiz é essencial para aqueles colaboradores que atuam no setor de RH de uma organização, bem como para todas as empresas que procuram desviar de problemas que acontecem repetitivamente, facilitando a prevenção de erros e falhas.

Kanban

Para saber mais sobre esta metodologia, continue lendo o nosso artigo!

O que é Análise de Causa Raiz?

Análise de causa raiz (ACR), ou root cause analysis (RCA), é uma metodologia bastante utilizada nas empresas em geral, pois auxilia no descobrimento do motivo pelo qual aquele problema específico aconteceu.

Essa ferramenta procura entender de onde aquele erro originou-se, elaborando etapas exclusivas e características que, junto a outras técnicas, facilitam a descoberta do porquê o problema aconteceu.

A intenção que envolve todo esse conceito é bastante clara: realiza-se uma administração que não pretende apenas resolver aquele erro, mas sim descobrir métodos de não deixá-lo acontecer novamente.

Portanto, a meta é consertar tudo aquilo que o problema repercutiu, mas também definir e consertar sua base.

Diante disso, é compreensível que utilizar métodos que reparem a causa raiz traz mais eficácia do que tentar resolver todos os desmembramentos do problema.

Qual o objetivo principal da Análise de Causa Raiz?

Qual o objetivo principal da Análise de Causa Raiz?

O objetivo mais importante na utilização da análise de causa raiz é verificar as ocasiões e os erro para tentar entender as seguintes questões:

O que é Canvas
  • O que ocorreu?
  • Como ocorreu?
  • Por que ocorreu?

Todos esses questionamentos devem criar estratégias de prevenção para que as situações não aconteçam novamente.

Exemplos de utilização da Análise de Causa de Raiz

Existem muitas ocasiões nas quais a análise de causa raiz pode ser utilizada, seja para solucionar ou erros, seja para elaborar medidas de prevenção. Como exemplo, podemos citar:

  • Acidentes delicados.
  • Inconvenientes rotineiros.
  • Falhas humanas.
  • Erros médicos.
  • Problemas de execução.
  • Ocorrências durante a produção etc.

Quais os benefícios de utilizar a Análise de Causa Raiz?

Agora que já sabemos o conceito da análise de causa raiz, podemos apresentar algumas das vantagens que existem na utilização desta ferramenta, quais sejam:

  • Reconhecer as dificuldades que existem na empresa.
  • Reconhecer quais as demandas presentes e as que virão.
  • Aprender a utilizar informações precisas que facilitem a resolução dos erros e falhas.
  • Elaborar um sistema analítico de toda a empresa.
  • Uniformizar as metas cotidianas de modo que seja possível concretizá-las.
  • Qualificar todos os procedimentos existentes da corporação, sejam eles internos ou externos.
  • Moderar os gastos causados por problemas que poderiam impedidos caso fossem analisados com precisão.

Como fazer uma Análise de Causa Raiz?

Como fazer uma Análise de Causa Raiz?

Etapa 1: Definir o problema

Tente explicar de modo objetivo qual a consequência imediata do erro e quais procedimentos ele afeta.

Obter essas informações é de extrema importância, pois a partir de então será possível mensurar os resultados desejados e indesejados.

Etapa 2: Reunir dados

Esse é o momento de elencar as razões prováveis pelas quais aquele problema está acontecendo.

O ideal é fazer um mapeamento, classificando colaboradores, procedimentos, ambientação, administração etc.

Durante a reunião de dados é recomendado que seja feita uma linha do tempo, tentando responder ao seguinte questionamento:

Na última vez em que esse procedimento foi realizado, como ele funcionou? Houve erros ou resultados positivos?

Essa é a etapa mais trabalhosa. Sem a obtenção de informações necessárias, não dá para certificar-se de que a causa raiz encontrada é acertada.

As informações também auxiliam na montagem de referências através das quais as melhorias poderão ser identificadas em momento posterior.

Esse é o momento de conversar com todos aqueles colaboradores que vivenciaram o problema e compilar os dados disponibilizados, sejam eles processuais ou materiais.

Se a análise feita até aqui ainda não for clara o suficiente, certamente servirá de auxílio para estabelecer quais pontos precisam ser novamente revisitados.

Etapa 3: Identificar circunstâncias e erros que favoreceram o problema

Crie um sistema classificatório onde todos os motivos prováveis para o acontecimento do problema sejam associados.

Observe todos os episódios que ocorreram até o momento que o problema apareceu e procure entender se algum evento específico se desenrolou concomitantemente a ele.

É válido também entender se o erro identificado foi responsável por tornar todo o procedimento mais complexo. Tudo deve ser registrado conjuntamente.

Etapa 4: Descobrir a causa raiz

Depois de todas as etapas realizadas, os pontos mais importantes são analisados minuciosamente, até que se encontre o foco do problema.

Esse foco é quem ajuda na compreensão da origem primária do problema, descobrindo a razão da dificuldade de solucioná-lo e o motivo pelo qual aconteceu.

Etapa 5: Desenvolver estratégias para evitar ou eliminar novos problemas

Depois de desenvolvidas todas as etapas acima, chegamos à etapa final, onde se desenvolve estratégias com o intuito de evitar ou eliminar novos problemas.

A metodologia definida para atuar na resolução dos problemas deve ser analisada de modo que sua aplicação seja o mais clara possível e não entregue dificuldades no momento da produção.

A estratégia que for escolhida deve possibilitar a mensuração de resultados positivos e ser menos arriscada quanto for possível.

Conclusão

Diante de tudo o que foi explanado até aqui, fica claro que a análise de causa raiz auxilia na melhoria do desenvolvimento da empresa como um todo. Sua eficácia vai desde a redução de custos com retrabalhos até o aumento da produtividade.

Ao aplicar a análise de causa raiz na sua empresa, não deixe de acompanhá-la e avaliá-la com assiduidade, procurando sempre entregar um processo m elhorado e eficaz.

Gostou desse conteúdo?

Então visite o nosso Blog e fique por dentro dos assuntos mais relevantes sobre ferramentas de análises e demais métodos de trabalho eficazes e atuais.

Aproveite para conhecer o que a Keeps tem a oferecer dentro do Go Learning, nossa Universidade Corporativa, e descubra como evoluir nos processos de capacitação e mensuração de resultados, através desse movimento colaborativo social de especialistas em T&D e RH que criaram um ecossistema de conhecimento rico com cursos, webinars, podcasts, livros, ebooks, entre outros objetos educacionais.

Contato

Relacionados