Diagrama de Ishikawa: o que é e como desenvolver
Início » RH » Diagrama de Ishikawa: o que é e como desenvolver

Sem tempo para ler?

Diagrama de Ishikawa

Para que se mantenha uma boa gestão, é essencial que se utilize ferramentas de qualidade. O Diagrama de Ishikawa é uma destas ferramentas, conforme explanaremos a seguir.

O que é o Diagrama de Ishikawa?

O Diagrama de Ishikawa, também chamado de Diagrama Espinha de Peixe/ Diagrama Causa e Efeito/

Kanban

O Diagrama de Ishikawa, ou método Ishikawa, é também conhecido pelos seguintes nomes:

  • Diagrama Espinha de Peixe;
  • Diagrama de Causa e Efeito;
  • PDCA Espinha de Peixe;
  • Árvore de Causas Espinha de Peixe e
  • Diagrama dos 6Ms.

Qual a finalidade do Diagrama de Ishikawa e o que significa? Trata-se de uma ferramenta de gestão de qualidade geralmente utilizada para o gerenciamento do controle de qualidade. O diagrama apresenta um formato gráfico que se assemelha a um esqueleto de um peixe, criada no intuito de analisar as organizações e identificar a fonte principal de um problema.

Quem criou o Diagrama de Ishikawa?

O modelo do Diagrama foi desenvolvido em 1943 pelo engenheiro químico Kaoru Ishikawa, o projeto foi criado para ser aplicado por qualquer indivíduo, sejam os colaboradores de produção ou da administração e gerência; daí seu sucesso na gestão de qualidade. Trata-se de uma ferramenta visual que permite à equipe identificar os problemas que acarretam na diminuição da produtividade da empresa, descobrindo quais fatores colaboraram para que se chegasse àquela situação indesejada.

Modelo do Diagrama de Ishikawa!

Fazem parte da conceituação do Diagrama de Ishikawa as seguintes palavras-chave:

  • Efeito – o resultado ou a decorrência do que foi produzido, o fruto da produção realizada.
  • Problema – a falta de solução diante de um objetivo, de um resultado aguardado ou de uma saída para o conflito existe. Do Diagrama de Ishikawa, o problema geralmente vem acompanhado de uma pergunta.
  • A causa – a motivação, o princípio daquilo que está sendo elaborado.
  • Causa primária/principal – são as causas de destaque, as que aparecem antes que as demais sejam desenvolvidas.
  • E causa secundária – são as ramificações das causas primárias.

Para que serve o Diagrama de Ishikawa e como utilizá-lo?

Todas as empresas podem utilizar o diagrama em todos os seus setores, desde que saibam adaptá-lo a cada situação. Todos os colaboradores conseguirão acessá-lo, sendo possível assim que sua aplicação ocorra tanto na fábrica quanto na administração do escritório, por exemplo.

Então quando e por quê usar o Diagrama de Ishikawa? Deve ser utilizado sempre que for identificado que o problema atingiu diretamente o serviço/produto ofertado. Se na sua empresa existe um grande número de reclamações vinculadas ao atendimento dos colaboradores ou caso ocorram defeitos recorrentes nas suas produções, o método deve ser imediatamente aplicado. Tanto assim quanto na otimização de processos para problemas que não são recorrentes mas que acabam atrapalhando o desempenho do negócio.

Analisando os erros através do gráfico, erros poderão ser corrigidos e transformados, gerando mais lucros e aprendizados. Em resumo, qual a finalidade do Diagrama de Ishikawa? O diagrama pode ser utilizado das seguintes maneiras e nos seguintes contextos:

Modelo de Canvas
  • Visualizar as causas principais e secundárias das dificuldades enfrentadas;
  • Enxergar de modo mais abrangente e sistêmico os motivos que levaram àquele problema;
  • Estudar os recursos disponíveis pela organização e identificar soluções;
  • Gerar melhorias nos procedimentos e nos processos
Diagrama de IshikawaUtilizar o Diagrama de Ishikawa

O que é a relação de causa e efeito?

O Diagrama de Causa e Efeito, como já mencionado anteriormente, utiliza-se de algumas palavras-chave, dentre elas a causa e o efeito. A relação causa e efeito é fruto do princípio que diz que toda ação gera uma reação.

As causas são, usualmente, motivos que impactam na variação do resultado, determinando qual o seu grau de intensidade – o efeito.

Já os efeitos, são os resultados da performance daquela causa determinada. O efeito é geralmente reconhecido através de um sinal específico.

Em síntese, podemos concluir que tudo aquilo que fazemos, ou seja, as causas, por consequência vão gerar resultados específicos, ou seja, os efeitos.

Portanto, no ambiente organizacional, o funcionamento segue a mesma regra: todas as fases de um procedimento vão influenciar no resultado final. Portanto, qualquer desvio durante as etapas pode acabar gerando erros no resultado final.

Como então descobrir a causa que ocasionou o resultado final negativo nesse procedimento? Utilizando-se o Diagrama de Ishikawa.

Inicialmente, o erro ou o problema que ocorreu deve ser analisado da seguinte forma: por que? Por exemplo: se os conteúdos de marketing não estão sendo favoráveis para a conversão: por quê? Se a equipe de vendas não consegue alcançar a porcentagem estimada: por quê?

Através da implementação do diagrama, chega-se a uma conclusão. Daí em diante, trabalha-se na extinção do erro ou na correção, caso seja possível, evitando ao máximo que os resultados negativos continuem acontecendo.

Os 5 Porquês

Quando utilizamos a técnica conhecida como os 5 porquês devemos quando combiná-la ao diagrama de Ishikawa, pois auxilia com eficiência na descoberta exata da causa que leva ao problema nos resultados finais das produções.

E quais são os 5 porquês? O fundamento desta técnica é perguntar 5 vezes o motivo daquele problema ter acontecido. Claro, utilizando sempre questionamentos o mais racionais possíveis. Mas por que perguntar tantas vezes? Porque a cada nova pergunta, melhor a questão é enxergada e mais rapidamente faz-se a identificação da causa raiz daquele problema.

Segundo seu criador, Taiichi Ohno, cada porquê explana uma etapa importante:

1º Porquê: sintoma do problema.

2º Porquê: desculpa para o problema ter acontecido.

3º Porquê: culpado pelo problema.

4º Porquê: causa responsável pelo problema.

5º Porquê: causa raiz do problema.

Então porque exatamente utilizar essas duas ferramentas de gestão de qualidade conjuntamente? Porque uma completa a outra. Nesse caso, qual o objetivo da ferramenta do Diagrama de Ishikawa? O diagrama, originário do brainstorming, é capaz de fornecer uma visão ampla do contratempo. E os 5 porquês faz com que seja feita uma análise mais aprofundada desse contratempo. Assim, quando utilizadas ao mesmo tempo, os resultados serão mais confiáveis e eficazes.

Quais os benefícios do diagrama de Ishikawa?

O diagrama apresenta uma série de vantagens para a gestão de sua empresa, como por exemplo:

  • Melhor análise da origem dos problemas;
  • Definição da profundidade das causas dos problemas;
  • Diagramar visualmente as questões merecedoras de análise;
  • Identificar melhorias enquanto soluciona um problema;
  • Ordenar a criatividade da equipe num mesmo espaço.

Eficaz para organização de ideias, problemas e possibilidades, o Diagrama de Ishikawa é apresentado em formato bastante didático. Todavia, é importante que o gestor da equipe saiba distribuir os itens na hierarquia correta, alinhados aos interesses da empresa.

Como fazer um Diagrama de Ishikawa?

Como montar o Diagrama de Ishikawa? Para elaborar o Diagrama, é necessário que alguns passos sejam seguidos:

Primeiro: definição do problema fonte da análise.

Segundo: trace uma seta horizontal, que aponte para o lado direito e, no retângulo inserido na ponta da seta, escreva o problema.

Terceiro: reúna a equipe e faça um brainstorming com base na pergunta: o que está causando este problema? E elabore um levantamento de acordo com as respostas encontradas.

Quarto: identificadas as causas, divida-as em grupos, como materiais, métodos, mão de obra etc., ou ainda da forma que você julgar mais coerente na sua organização.

Quinto: em seguida, demarque o caminho, estude as causas anteriores que fizeram com que o problema acontecesse.

Como elaborar um Diagrama de Ishikawa?

Como dissemos anteriormente, o Diagrama de Ishikawa é também conhecido como Diagrama dos 6Ms. Esses 6Ms são as categorias nas quais a elaboração se divide: Máquina, Materiais, Método, Medidas, Meio ambiente e Mão de obra. Entretanto, no seu processo de identificação não é necessário fazer constar todos os 6Ms, apenas aqueles que você entenda importantes para a execução do Diagrama — desde que existam fatos e dados, não sendo deixado de escanteio nenhum conteúdo.

Os 6Ms do Diagrama de Ishikawa

Os 6Ms do Diagrama de Ishikawa!

Quais são os 6Ms do diagrama de causa e efeito? Para fazer um diagrama completo, devemos utilizar a técnica dos 6Ms, seguindo os passos abaixo.

Máquina

Aqui o foco é prezar pelo bom funcionamento dos equipamentos, eliminando os prejuízos e focando na manutenção da produção de acordo com a previsão inicial. Deve-se saber manusear as máquinas e realizar manutenções regulares.

Materiais

Verifica-se a utilização da matéria prima da produção, suas quantidades e especificações.
Mão de obra — os colaboradores devem trabalhar com competência, qualificação, prudência e sem atropelar a execução das tarefas. A mão de obra está diretamente ligada às características do colaborador na execução de suas atividades.

Mão de obra

Os colaboradores devem trabalhar com competência, qualificação, prudência e sem atropelar a execução das tarefas. A mão de obra está diretamente ligada às características do colaborador na execução de suas atividades.

Meio ambiente

Análise do ambiente interno (espaço, ruídos) e externo (tempo instável, poluição) da empresa e dos problemas que podem decorrer destas questões.

Métrica

Como os processos serão controlados, monitorados e mensurados, de forma que o trabalho não precise ser refeito.

Método

Adoção de procedimentos para realização dos trabalhos, através de ferramentas de planejamento.

Conclusão

Agora que você já sabe como fazer o Diagrama de Ishikawa, conhece suas vantagens e desvantagens, já consegue montá-lo e colocar em prática para solucionar os problemas e identificar os riscos de gestão na sua empresa.

Espaços de aprendizagem = resolução de problemas!

Então, se você gostou do nosso conteúdo, separamos duas dicas para você:

1 – Visite o Blog do T&D da Keeps e confira dezenas de conteúdos sobre T&D e RH, Gestão, Liderança, Resolução de problemas, Tecnologia e Inovação, Educação Corporativa e muito mais!

2 – Conheça o GO LEARNING: uma Universidade Corporativa gratuita, voltada para T&D e RH, onde você encontra diversos cursos (missões) e conteúdos de microlearning (pulses) desenvolvidos pelos melhores profissionais, em parceria com a Keeps.

Tudo dentro de uma experiência LXP de ensino e com emissão de certificados.

Então, tá esperando o quê? Vem pra Keeps e descubra o nosso jeito simples de capacitar!

Contato

Relacionados