Pensamento sistêmico nas empresas: o que é e como desenvolver

Início » RH Ágil » Pensamento sistêmico nas empresas: o que é e como desenvolver

Por que o pensamento sistêmico é importante e qual sua conexão com crescimento de uma organização? O Pensamento Sistêmico se refere ao modo de enxergar e conduzir uma empresa de forma que todos os diferentes departamentos se encontram interligados. Ou seja, as decisões tomadas em um lugar podem impactar direta ou indiretamente um outro ponto do negócio. Isso significa que as diferentes instâncias e departamentos da empresa exercem influência (direta ou indireta) umas sobre as outras. Neste artigo abordaremos as nuances desse pensamento e sua influência nas decisões, produções e relações de trabalho, de forma que você adapte seu negócio a crescer e obter resultados.

O que é o pensamento sistêmico?

O que é o pensamento sistêmico?

Pensamento sistêmico é o exame do desempenho de sistemas utilizando-se da perspectiva holística dos métodos.

Quem criou o pensamento sistêmico? O pensamento holístico surge de um conceito originário da obra Holismo e a Evolução, de autoria de Jan Christian Smuts. Segundo o autor, o holismo é:

“A tendência da natureza, através da evolução criativa, é a de formar qualquer “todo” como sendo maior do que a soma de suas partes”.

Mas como surgiu o pensamento sistêmico? Diante desse conceito, entendemos que o pensamento sistêmico entrega a análise de um ponto de vista universal, sem separação de categorias, tratando todos os procedimentos de modo coletivo.

No livro A Quinta Disciplina, Peter Senge, criador do conceito de pensamento sistêmico, explica:

“Um sistema é um todo percebido cujos elementos mantêm-se juntos porque afetam continuamente uns aos outros, ao longo do tempo, e atuam para um propósito comum”.

Ou seja, o pensamento sistêmico opta pelo estudo de todos os elementos estruturais, analisando como se complementam entre si, procurando direcionar os fluxos de influência.

Deste modo, tudo aquilo que acabar sendo reproduzido variadas vezes será identificado, possibilitando que haja inserções de melhorias e reconhecimentos dos erros.

No dia a dia empresarial as tarefas geralmente são analisadas sem que sejam percebidas todas as etapas que levam à realização do processo. Tudo é enxergado de modo linear.

Todavia, para que uma organização funcione, os colaboradores de diferentes setores devem exercer seus papéis dentro das áreas que lhes cabem sem, entretanto, deixarem de focar na corporação como uma organização única.

Para que o pensamento sistêmico seja implantado, as habilidades e competências dos colaboradores devem ser claras, possibilitando aos gestores entenderem suas condutas e identificarem as estratégias a serem melhor trabalhadas.

Características do Pensamento Sistêmico

Características do Pensamento Sistêmico

Antes de pontuarmos quais são os benefícios, as bases e o modo de aplicação empresarial do Pensamento Sistêmico, precisamos, primeiramente reconhecer quais são suas principais características.

Dessa forma, a compreensão do processo fica ainda mais clara.

Afinal de contas, quando adotado, o pensamento sistêmico passa a ser parte das estratégias da empresa, sendo então inserido na cultura organizacional.

Algumas instruções a respeito de suas características, são as seguintes:

Organização pessoal

Para alcançar metas e objetivos, sejam elas de cunho pessoal ou profissional, é preciso se organizar para que seus resultados sejam mais eficazes.

Sendo assim, como uma das primeiras características desse sistema, é importante aprender a aumentar a nossa capacidade pessoal para criar os resultados desejados.

Afinal de contas, ter essa disciplina nos ajuda de uma maneira efetiva, nos guiando para encontrar sintonia com os processos maiores.

Metas compartilhadas

Construir um senso de comprometimento em grupo, desenvolvendo visões compartilhadas de um futuro que buscamos criar, também faz parte das características do Pensamento Sistêmico e podem ajudar na evolução interna da organização.

Do pessoal ao coletivo

Grupos de pessoas podem, de forma confiável, desenvolver uma capacidade maior do que a soma dos membros individualmente.

Isso é comum em empresas que zelam por um coletivo e o treinam para se tornar de alta performance.

Conhecimento coletivo

Como dissemos antes, duas cabeças pensam melhor que uma, existindo também a possibilidade da mudança de perspectiva das partes para o todo.

O que também pode contribuir para a tomada de decisões bem como para a evolução da equipe.

Por que o Pensamento Sistêmico é importante?

Para que os colaboradores da empresa desenvolvam uma atitude de dono (ownership) e se enxerguem como peça fundamental de todos os processos que ali acontecem, a aplicação do pensamento sistêmico é fundamental.

Quando o pensamento sistêmico é implementado, a empresa imediatamente observará o impacto na produtividade de seus colaboradores, que serão capazes de assimilar as metas organizacionais a partir do momento em que se percebem parte de uma totalidade superior e do quanto seu papel é significativo dentro dessa jornada.

Por que o Pensamento Sistêmico é importante?

Se o colaborador tem noção do que acontece nos demais setores, todos os passos executados se tornam mais coerentes, pois se igualam às atividades de todos aqueles que participam do processo.

Benefícios do Pensamento Sistêmico

Diante de todo o exposto, podemos destacar algumas das principais vantagens de implementar o pensamento sistêmico na sua empresa, por exemplo:

  • Percepção da empresa como um todo: ter uma visão abrangente e integral possibilita que os gestores e colaboradores não desmembrem seu olhar para um ponto específico, pois analisa a organização em sua totalidade.

Esse tipo de atitude expõe as demandas empresariais, os pontos de melhoria, os pontos a serem excluídos, os pontos a serem mantidos e todos os demais motivos que ajudem no mapeamento de sistemas que podem assessorar a corporação.

  • Favorecer o trabalho: o pensamento sistêmico ajuda a reconhecer quais são as tarefas relevantes e que entregarão resultados positivos para a empresa.
  • Cogitar as demandas dos interessados nas ações empresariais: dentro do procedimento de aplicação do pensamento sistêmico, o posicionamento dos clientes, dos fornecedores, dos stakeholders, tudo isso deve ser ponderado e suas demandas são recepcionadas com mais cuidado.
  • Preeminência competitiva no mercado: o pensamento sistêmico permite que todos os procedimentos estejam mais próximos, de modo que todas as táticas criadas pela organização sejam tomadas como direção dentro daquela divisão.

Através do pensamento sistêmico enxergamos a perícia que a empresa assumiu e o que possui como preeminência competitiva no mercado.

  • Decisões tomadas com mais excelência: conseguir decidir com mais assertividade e eficiência é uma das características que o pensamento sistêmico permite. Quando os indicadores não são criados, algumas decisões podem ser confusas e atrapalhar a produção, a oferta etc.
  • Facilidade ao identificar erros: com as atividades automatizadas, utilizados os indicadores e demais ferramentas, as eventuais falhas são identificadas com mais facilidade.
  • Competência para avaliação crítica: com uma habilidade sistêmica, as prioridades são explanadas e não se perde tempo com reparos insignificantes e se investe em restaurações eficazes.
  • Visão holística do negócio: essa visão mais holística permite antecipar cenários e ter maior controle sobre os resultados das ações e estratégias de negócio que são implementadas. Dessa forma, passa-se a ter uma orientação mais assertiva sobre que caminhos seguir rumo aos objetivos da organização.

Bases do pensamento sistêmico

Bases do pensamento sistêmico

Domínio pessoal

A capacidade de expansão das habilidades pessoais de cada colaborador individualmente é uma vantagem não apenas para a organização mas também para todos os colaboradores e gestores que dela façam parte.

Através dessa ampliação, junto à obtenção dos dados almejados, desenvolve-se um maior nível de comprometimento dos colaboradores visando o alcance das metas propostas.

Mapas mentais

Todos os passos devem ser claros. Todas as produções devem ser passíveis de questionamento, melhorias, reorganizações etc. Assim, consegue-se moldar também as decisões de cada processo.

Visão distribuída

Para que se obtenha o comprometimento necessário, a visão da organização deve ser distribuída e livremente compartilhada entre os seus colaboradores. Mais do que apenas estabelecida, a visão deve ser o elemento engajador dos próximos passos da organização.

Aprendizado em grupo

Investir em habilidades coletivas é essencial nesse sistema. Quando o trabalho acontece conjuntamente, os grupos são capazes de progredir com competências somatizadoras daquelas existentes privativamente.

Pensamento Sistêmico

Avaliando e interpretando a empresa como um conjunto agregado, o pensamento sistêmico auxilia na criação de características e símbolos para interpretar os encadeamentos dentro dos sistemas.

A habilidade de pensar sistematicamente ajuda dos colaboradores a compreenderem que suas ações atingem a totalidade da empresa – relação causa e efeito.

Como desenvolver o Pensamento Sistêmico?

Para criar o pensamento sistêmico nas organizações, é preciso que os colaboradores saibam o quanto é relevante participar dessa concepção e compreendam serem partes de um conjunto.

Os gestores, junto aos seus líderes, devem ser capazes de distinguir as qualificações de cada participante das diversas equipes, quais pontos precisam ser aprimorados e criar programas de capacitação para atender a essas demandas e também analisar como seus colaboradores se relacionam com a empresa e entre si.

Existem etapas que podem ser operadas, como procurar enxergar os contratempos não como algo singular mas sim como parte da totalidade das questões organizacionais. A partir do momento em que existe a consciência de que não se deve isolar nenhum problema, a empresa consegue solucioná-los de modo sustentável e eficaz, analisando os impactos a longo prazo e não apenas imediato.

Como aplicar o pensamento sistêmico nas empresas

Quando adotado, o pensamento sistêmico passa a ser parte das estratégias da empresa, sendo então inserido na cultura organizacional. Algumas instruções a respeito de como implementá-lo são as seguintes:

Como aplicar o pensamento sistêmico nas empresas

Conectar as lideranças

As lideranças responsáveis pela organização precisam estar ajustadas entre si e com o fato de que o pensamento sistêmico será implementado, para então, conjuntamente, evidenciarem esse objetivo.

Assim, a partir dos exemplos dos líderes gestores, com todas as equipes trabalhando conjuntamente, o crescimento da empresa será o foco geral de todos os setores.

Para tanto, é necessário que sempre sejam realizadas reuniões que possibilitem às equipes ajustarem seus mapeamentos iniciais de acordo com a meta final geral.

Importante salientar que, para que haja a efetiva conexão entre as lideranças, todos os setores devem cruzar as informações de produções realizadas individualmente.

Elaborar treinamentos

Se a organização possui a intenção de desenvolver o pensamento sistêmico em suas metodologias, precisa haver uma inovação na mentalidade da organização, especialmente quanto aos seus valores e condutas, demonstrando a todos os colaboradores as vantagens de seguir por este caminho.

Para que isso ocorra, devem ser criados novos programas de treinamento e desenvolvimento com foco na implementação do pensamento sistêmico. Assim, os grupos de todos os setores serão capazes de desenvolver o novo sistema.

Dividir o planejamento estratégico com as equipes

Podendo participar do planejamento estratégico, colaboradores e gestores desenvolvem maior satisfação relacionada àquilo de que são partes e atuam para acontecer de modo mais ativo, uma vez que conseguem conduzir os processos, sabendo como as produções estão fluindo.

Isso influencia diretamente na rotina organizacional, ainda que alguns dos processos possuam conteúdos originariamente confidenciais — basta que uma cópia acessível esteja ao alcance de todos os interessados em seu compartilhamento geral.

O pensamento sistêmico, quando aplicado no ambiente corporativo, é responsável por  diversas vantagens, dentre elas o fato de, através dessa inserção, otimizar o tempo gasto com quesitos técnicos e táticos.

Para a criação e manutenção eficaz do pensamento sistêmico, deve-se focar na diminuição do índice de rotatividade de colaboradores. Quando a organização como um todo passa a assimilar o pensamento sistêmico, esse índice despenca, o que beneficia diretamente todo o ambiente organizacional.

Dificuldades de aplicar o pensamento sistêmico

Uma das maiores dificuldades de aplicar o Pensamento Sistêmico nas empresas é o alto índice de rotatividade.

Porém, a rotatividade só é alta porque as empresas não compreendem que é justamente a falta do Pensamento Sistêmico que não fideliza os funcionários às empresas.

Como já diz o próprio Senge, os seres humanos só absorvem as mudanças, quando também alteram sua maneira de ver o mundo.

E, dessa forma, fica muito difícil obter isso sem implementar uma cultura focada no estímulo ao aprendizado contínuo.

No momento que a empresa e os gestores conseguirem enxergar essa questão, terão compreendido a essência do pensamento sistêmico.

Conclusão

É essencial ter uma visão colaborativa e enxergar além, ou seja, enxergar o todo, visando resultados não somente particulares, mas também em prol de um resultado melhor.

O pensamento sistêmico colabora na organização de suas metas pessoais, e também o torna um profissional bem-visto pelas organizações. E se você já é um líder, sabe que o pensamento sistêmico gera um impacto mais assertivo na tomada de decisões.

Gostou do nosso conteúdo?

As soluções da Keeps ajudam, a partir da Educação Corporativa, no desenvolvimento de um pensamento sistêmico e estratégico nas empresas. Onde a tecnologia, representada pela Plataforma LXP, é capaz de unir, ou “fazer dar liga”, entre 3 dos principais fatores necessários para o sucesso das ações de Treinamento e Desenvolvimento:

  • Engajamento
  • Capacitação
  • Retenção

Afinal, o que toda Organização deseja são colaboradores engajados, capacitados e capazes de ensinar, além da disposição em permanecer na empresa. Por essas razões, o investimento em Educação Corporativa, acompanhado de ações de endomarketing direcionadas têm se mostrado um excelente caminho para alcançar o êxito nessas práticas de T&D e RH.

O que a LXP faz, é reunir em um só lugar todos os cursos e treinamentos em um só lugar, oferecendo uma experiência de aprendizagem extraordinária, com Inteligência Artificial e Avaliação de Desempenho via Learning Analytics.

Isso faz com que a plataforma de aprendizagem entregue ao mesmo tempo, a melhor experiência e transmissão do conhecimento na ponta, além de oferecer ao gestor todos os resultados em tempo real, por colaborador ou por curso, com relatórios personalizados.

Se você ficou curioso, conheça o Konquest: a LXP da Keeps.

Solicite uma demonstração gratuita.

Perguntas frequentes sobre Pensamento Sistêmico:

Como surgiu o Pensamento Sistêmico?

O Pensamento Sistêmico surgiu com a publicação do livro A Quinta Disciplina, de Peter Senge, cujo conceito explica: “Um sistema é um todo percebido cujos elementos mantêm-se juntos porque afetam continuamente uns aos outros, ao longo do tempo, e atuam para um propósito comum”. Assim, analisamos que o Pensamento Sistêmico enxerga todos os processos de modo coletivo, sem separações de categoria.

Quais são as bases do Pensamento Sistêmico?

Domínio pessoal: cada colaborador deve ser capaz de aumentar suas qualidades e habilidades, tanto para benefício próprio quanto da empresa.
Mapas mentais: devem ser expostos de forma organizada todas etapas e processos dos projetos em andamento para que assim todos tenham acesso às opiniões referentes a melhorias etc.
Visão distribuída: a visão e os valores da empresa precisam ser compartilhados pelos gestores com seus colaboradores, pois apenas assim haverá engajamento em relação ao futuro da organização.
Aprendizado em grupo: as qualidades dos grupos precisam receber atenção, de modo que o trabalho coletivo evolua e todas as equipes sigam produzindo e progredindo.

Lilian Pamela
Possui formação em Gestão de Recursos Humanos, responsável pelo RH da Keeps, atuando como Analista de Recursos Humanos, Gestão de Pessoas e Desenvolvimento Humano e Organizacional. Entusiasta de temáticas e aplicações sobre T&D.
Continue sua pesquisa
Pesquisar

Está com alguma dúvida? ENTRE EM CONTATO COM A GENTE!

Relacionados

Converse com nossos especialistas

Descubra como nossa plataforma pode transformar sua equipe e impulsionar o crescimento da sua empresa. Agende agora uma demonstração exclusiva e veja como podemos lhe ajudar: