Entre em contato: +55 (48) 99169-2112

Pirâmide de Aprendizagem de William Glasser

 Por: |  Publicado em 17/11/2021 |  Atualizado em 17/11/2021 |  Tempo de leitura 5 minutos

São diversos os métodos existem para otimização dos estudos. Uma delas é a pirâmide de aprendizagem. Para saber mais sobre esse conceito e como aplicá-lo na rotina da sua equipe, leia o nosso artigo.

Conceito de pirâmide de aprendizagem

metodologias ativas - pirâmide de aprendizagem

Pirâmide de aprendizagem, ou pirâmide de William Glasser (também chamada de pirâmide de aprendizagem de William Glasser), é um conceito criado pelo psiquiatra americano que dá nome à teoria, na qual afirma que o professor, em uma relação de ensino, é um guia e não chefe para os seus alunos.

Segundo William Glasser e sua teoria da pirâmide de aprendizagem, em um ambiente de ensino não deve ser focada apenas a capacidade de memorização, porque depois da aula os conceitos muitas vezes passam despercebidos.

Glasser acredita que, para que o aprendizado seja efetivo, os alunos devem participar, fazendo e praticando, para só então conseguir desenvolver o que lhe foi entregue.

De acordo com a pirâmide de aprendizagem, o ser humano aprende:

– 10% quando lê;

– 20% quando escuta;

– 30% quando vê;

– 50% quando vê e escuta;

– 70% quando debate com outras pessoas;

– 80% quando pratica/faz;

– 95% quando ensinamos aos outros, resumindo ou estruturando o conhecimento.

São considerados aprendizados passivos: ler, escutar, ver e ver + escutar. E são tidos como aprendizados ativos: debater, praticar e ensinar aos outros.

Abaixo, uma breve síntese acerca dos níveis de aprendizado:

Ler

Glasser acredita que, quando você tem contato com algum tema pela primeira vez durante a leitura, seu cérebro é capaz de reter apenas 10% daquele assunto. Por isso, geralmente a tendência é que acabemos lendo e revisando trechos que julgamos mais importantes para auxiliar na retenção do conteúdo.

Ouvir

Quando apenas ouvimos o conteúdo, o cérebro atua assimilando apenas 20% do que foi explanado. Isso ocorre porque, muitas vezes, você acaba fazendo outras coisas enquanto absorve o som do ambiente.

Ver

Se ao estudar determinado conteúdo você dispuser de imagens que associem o conteúdo, conseguirá, de acordo com a pirâmide de aprendizagem, guardar em torno de 30% do que foi repassado.

Combinar o estudo a mapas mentais, figuras exemplificativas ou esquemas que melhor conversem com suas necessidades, automaticamente gera mais facilidade no aprendizado.

Ver e ouvir

No caso de ver e ouvir, o conteúdo consegue ser fixado em até 50%. Às vezes o aluno lê e não consegue assimilar tão bem, mas após assistir uma aula, já com a bagagem literária, é capaz de assimilar tudo com maior facilidade.

Debater

Ao debatermos o conteúdo com outra pessoa ou com um grupo de pessoas, conseguimos reter até 70% do aprendizado. Esse debate pode acontecer presencialmente ou, em caso de estudos EAD, através de fóruns e chats, proporcionando um ciclo de análises críticas acerca dos temas abordados.

Praticar

A prática é responsável por 80% do aprendizado. É quando você consegue aplicar o conteúdo ensinado, seja resolvendo questões, seja praticando de fato no seu dia a dia, sendo assim capaz de analisar e aplicar de modo eficaz o que foi aprendido.

Ensinar

Quando você ensina, a capacidade de assimilação do conteúdo, segundo a teoria de Glasser, é de 95%. Você pode dar uma aula a si mesmo, pode gravar um vídeo repassando o assunto, pode explicá-lo ao seu colega, tudo de modo a aumentar seu nível de compreensão a respeito daquele tema.

Essa técnica de repasse do conteúdo através do ensino realiza que, se você não se sente apto a repassar aquele assunto a alguém, você certamente não foi capaz de entendê-lo.

O que é a pirâmide de aprendizagem?

A pirâmide de aprendizagem é um novo e mais eficaz método de aprendizado.

O modelo tradicional de ensino, onde o professor se posiciona como responsável por assumir todas as propostas e exposições acerca de determinado tema e o aluno permanece sentado apenas na condição de ouvinte, passivamente, é cada vez mais contestado.

O método de ensino da pirâmide de Glasser traz metodologias alternativas a serem aplicadas, inserindo o aluno no processo de modo participativo, permitindo que assim atue de modo ativo no seu próprio sistema de ensino.

Com a utilização da pirâmide do aprendizado, o conteúdo é melhor assimilado de acordo com a forma através da qual o estudo é realizado. Se possibilita haver mais elementos interativos, mais eficiente será a assimilação.

Caso o estudo seja feito no ambiente domiciliar, é recomendável que se substitua a leitura às vezes monótona do conteúdo por algo que oferte amplitude de concentração e entendimento.

Controvérsias sobre a pirâmide de aprendizagem

Ainda que popular, a teoria da pirâmide de aprendizagem de Glasser é questionada quanto a sua pesquisa e efetividade.

São vários os questionamentos acerca dos dados obtidos e se a teoria é, de fato, embasada numa consulta confiável. Com essa lacuna, não dá para saber se a teoria poderia ser replicada, como acontece na maioria dos experimentos científicos.

Assim, não temos como confirmar como as pessoas serão capazes de reter e assimilar os conteúdos explanados. Tampouco confirmar os números (porcentagens) relatados no estudo.

Gostou do nosso conteúdo?

Visite o Blog do T&D e tenha acesso a inúmeros conteúdos relevantes para as áreas de T&D e RH e sobre o mundo da Educação Corporativa.

Ou ainda, inscreva-se no Go Learning e acesse gratuitamente a uma série de cursos pensados para este mesmo público, desenvolvido por um time de especialistas.

O Go Learning é uma Universidade Corporativa da Keeps, aberta a todos que desejam viver uma experiência LXP de aprendizagem, para se tornarem multiplicadores do conhecimento.

Se você faz parte desse time, conheça a Keeps e as nossas Soluções.

Venha conhecer nossas soluções.

Relacionados

Deixe o seu contato para a nossa newsletter!

Deixe o seu contato para a nossa newsletter!

Todo mês temos um conteúdo exclusivo para você.

Muito obrigado!

×