Plano de Desenvolvimento Individual: como estruturar o PDI na sua empresa

Início » RH » Plano de Desenvolvimento Individual: como estruturar o PDI na sua empresa

O atual cenário empresarial tem se deparado com transformações sociais, políticas e econômicas que atingem diretamente a estratégia das empresas e dos colaboradores, desencadeando o desenvolvimento de novos padrões de comportamento e sinalizando um futuro de incertezas ainda maiores e mais intermitentes.

Nesse ambiente competitivo, as empresas buscam novas e melhores maneiras de responder às crescentes demandas de seus clientes, fornecedores, colaboradores, acionistas e sociedade. Isto posto, o Plano de Desenvolvimento Individual é uma ferramenta prática e essencial para sua empresa, capaz de combinar as demandas tanto da empresa quanto de seus colaboradores. Saiba mais durante a leitura do artigo a seguir.

O que é o Plano de Desenvolvimento Individual?

O Plano de Desenvolvimento Individual (PDI), é uma das ferramentas de maior eficácia no monitoramento da evolução das variadas habilidades dos colaboradores.

O PDI tem como finalidade expandir a carreira do colaborador e de suas capacidades para o bom desempenho de seus encargos, bem como daqueles que pretenda assumir.

A criação do Plano de Desenvolvimento Individual deve corresponder às demandas da empresa e de seus colaboradores conjuntamente.

O que é o Plano de Desenvolvimento Individual? 
PDI

A título de exemplo, o plano de desenvolvimento individual pode ser empregado para acompanhar a evolução de algumas características apontadas pelos gestores aos colaboradores quando realizam um feedback.

Dessa forma, após uma reunião com o gestor, o colaborador terá uma visão externa daquilo que é preciso trabalhar em seu perfil pessoal para permanecer na organização e assumir, futuramente, novos desafios.

A partir do que é apontado, este colaborador fica responsável por elaborar seu plano de desenvolvimento individual, elencando quais as competências a serem trabalhadas durante um período de seis meses, por exemplo.

Para que serve o Plano de Desenvolvimento Individual?

Qual a importância do PDI para as empresas? No que diz respeito à organização do controle da empresa, o PDI é um instrumento capaz de estimular as capacidades profissionais do colaborador de modo eficaz e elaborado.

Com o Plano de Desenvolvimento Individual na sua empresa, todos os setores conseguem ser melhor capacitados, o que consequentemente influencia nos resultados de modo positivo e permite ampliar cada vez mais a superação de obstáculos.

Através do PDI, o gestor alcança o máximo de habilidades de sua equipe, causando impacto direto no seu rendimento.

Não existe um prazo de validade estabelecido para o Plano de Desenvolvimento Individual, apesar de comumente ser realizado no período mínimo de três meses e máximo de um ano – curto, médio e longo prazo.

Outrossim, aliando os PDIs com as estratégias de avaliação de desempenho, será possível extrair uma espécie de mapa/panorama do desenvolvimento da carreira de cada colaborador, possibilitando um controle mais individualizado e direcionado da mesma.

Pondo nas mãos do colaborador mais autonomia frente ao desenvolvimento de sua carreira, o mesmo terá maior responsabilidade, afinal de contas, seu futuro estará em suas mãos.

Ainda, o PDI pode ser mais do que um mero planejamento do desenvolvimento individual dos colaboradores, ele pode ser uma espécie de elo que firma um compromisso do gestor com os seus colaboradores.

Outro grande benefício advindo da utilização dos PDIs advém da motivação e do engajamento, o que acaba por criar possibilidades de crescimento profissional, tanto por parte dos colaboradores quanto da empresa, que passa a investir mais nos planos de carreira.

Por decorrência disso, haverá uma maior retenção de talentos e uma grande redução das taxas de absenteísmo e turnover. Tendo em vista que o Brasil é um dos países com maior taxa de rotatividade no mundo, consoante a Robert Half, vale a pena investir nos PDIs.

Em outras palavras, empreender um Plano de desenvolvimento individual para os colaboradores traz inúmeras vantagens, à listar:

  1. Maior organização para os treinamentos individuais dos colaboradores;
  2. Mais motivação e engajamento dos colaboradores;
  3. Melhora no cumprimeto das metas e dos objetivos;
  4. Retenção de talentos;
  5. Controle do turnover;
  6. Valorização do colaborador;
  7. O vínculo entre o líder e o colaborador é fortalecido.

Qual o objetivo do plano de desenvolvimento individual?

Como denota-se da sessão anterior, pode-se afirmar que o principal objetivo do plano de desenvolvimento individual é auxiliar no desenvolvimento dos colaboradores, tanto na esfera pessoal quanto profissional.

Assim, através do PDI, tanto a motivação quanto o engajamento diário dos colaboradores serão estimulados, fomentando a melhoria de seus pontos fortes e fracos.

Como fazer um plano de desenvolvimento individual

Dicas para elaborar um PDI? Veja a seguir como implementar o PDI nas empresas:

Como fazer um plano de desenvolvimento individual
PDI em 7 etapas

Etapa 1: estabelecimento de estratégias e objetivos

Frente ao que foi exposto, levantamos as seguintes questões: Como utilizar um plano de desenvolvimento individual? Como utilizar um plano de desenvolvimento individual? Inicialmente devem ser definidas metas atuais, medianas e futuras. É indicado que sejam propostos estímulos diante de objetivos a serem concretizados em datas posteriores.

Os benefícios para os colaboradores devem surgir tanto no âmbito pessoal quanto no âmbito profissional, evitando assim que existam obstáculos entre os dois perfis.

A definição de estratégias e objetivos é o método mais eficaz para que os planos da empresa sejam realizados sem maiores complicações.

Após a definição das estratégias e dos objetivos, é bastante importante saber em que fase o colaborador se localiza, como está seu desenvolvimento, quais são seus gaps de competência, quais são seus pontos fortes e acerto, dentre outros.

Etapa 2: apuração dos valores necessários

Para evitar qualquer surpresa, todos os passos devem ser analisados, seja no que diz respeito aos custos, seja no que diz respeito ao período despendido durante a realização dos processos.

Na intenção de desviar de alguma possível falha no orçamento, é recomendado que a empresa faça uma apuração de todos os valores necessários para a conclusão de seus objetivos.

Vale ressaltar que esses valores dizem respeito às necessidades do PDI, tais como: curso e seminários de aperfeiçoamento e capacitação, produção de eventos, edição de livros e apostilas, bem como toda e qualquer ferramenta a ser utilizada durante os procedimentos.

Etapa 3: elaboração de um cronograma

Recomenda-se a criação de uma planilha na qual possa constar todas as tarefas com as devidas datas de realização.

Todos os procedimentos são listados e o período para concretização de cada um é analisado individualmente de acordo com o objetivo a ser atingido.

Cumpre ressaltar que todos os prazos previstos no cronograma precisam ser coerentes com as atividades estipuladas, caso contrário, atividades longas com realização prevista para períodos curtos, apenas trará impactos negativos para a equipe.

Etapa 4: faça um reconhecimento do cenário

Sabendo como funciona a empresa em seus aspectos fundamentais, a implementação do Plano de Desenvolvimento Individual é facilitada. Para tanto, são utilizadas metodologias através das quais sejam compreendidos os pontos fortes, os pontos fracos, os obstáculos e as vantagens da empresa.

Nesta etapa é importante que o gestor ou o responsável pelo RH sejam os responsáveis pelo diagnóstico organizacional.

Etapa 5: qualificação dos pontos fortes e dos pontos fracos

Para que o PDI apresente características eficientes, todas as atribuições devem ser esquematizadas. Tudo aquilo que foi elaborado na etapa anterior serve como embasamento para estes próximos passos. Assim, o gestor deve ser capaz de apontar quais os conhecimentos indispensáveis para o cumprimento de metas.

Esta etapa é responsável por conduzir a análise final de tudo o que precisa ser melhorado na empresa, bem como daquilo que funciona de modo favorável e merece ser estimulado.

Esse entendimento é fundamental para a execução dos demais processos.

Etapa 6: reunião de feedback de terceiros

Durante a implementação do PDI, o ponto de vista dos demais gestores, dos colaboradores e também dos clientes é sempre necessário. Com a combinação dos dados das opiniões de terceiros, consegue-se avaliar as metas e entender aquilo que talvez esteja faltando ou extrapolando.

Além de receber, a empresa também deve entregar um feedback a cada um de seus colaboradores, demonstrando, através de avaliações de desempenho individuais, quais os foram os retornos obtidos até então.

Etapa 7: estudo da fase atual e colocar em prática

Realizadas todas as etapas anteriores, é chegado o momento de finalmente colocar em prática o PDI.

Se preciso for, modifique o que por ventura deva ser reconsiderado e reveja o que esteja além do necessário. O cronograma inicial é seguido e aquilo que precisar de ajuste e adequação deve ser consertado dentro da análise de todos os resultados até aqui.

O Plano de Desenvolvimento Individual funciona por etapas. Não precisa haver pressa em sua condução, mas sim uma produção coerente, eficaz e estratégica.

Quais as dicas para elaborar um PDI?

Dica 1: aplicação constante de feedbacks

Para que o colaborador saiba que está sendo avaliado, e para que ele saiba se está seguindo o caminho desejado, aplique o maior número possível de feedbacks.

Porém, tenha cuidado na realização dessa etapa, a aplicação de feedbacks, quando não são bem conduzidas, podem trazer resultados bastante negativos.

Dica 2: utilize uma ferramenta para auxiliar no acompanhamento dos PDIs

Essa dica é essencial, pois a ferramenta auxiliará em todo o processo de realização do PDI. Tal ferramenta quantificará o desenvolvimento do colaborador, possibilitando uma análise de resultados mais profícua e fidedigna.

Ainda, evite utilizar ferramentas inadequadas ou ultrapassadas, pois isso poderá gerar falhas operacionais e atrasos nas entregas. Uma das grandes tendências do mercado é a utilização de um software de gestão, que oferecerá celeridade aos processos.

Dica 3: não defina metas impossíveis

É fácil deixar-se levar por metas grandiosas, que em teoria, lançariam um grande desafio aos colaboradores, porém, isso pode ser um erro bastante perigoso.

Há de se atentar, principalmente, aos prazos. Além disso, tendo em mãos a análise comportamental e profissional dos colaboradores, metas mais realistas poderão ser traçadas.

Dica 4: priorize competências

Foque no impacto que determinada competência poderá trazer para a empresa, mensure o desejo e a importância de se desenvolver tais competências, e por fim, defina a urgência de se possuir tal habilidade no time de profissionais.

Gostou do nosso conteúdo?

A Keeps é uma Edtech, com o propósito de desenvolver e impulsionar conhecimento. Por isso, alimentamos nosso Blog com diversos conteúdos novos toda semana.

Também por isso, criamos o Go Learning: uma Universidade Corporativa gratuita para T&D e RH, onde você encontra uma série de cursos criados por especialistas, com as soft skills mais requisitadas pelo mercado.

Cursos de Comunicação Assertiva, Comunicação Não Violenta, Inteligência Emocional, Gestão do Tempo, dentre muitos outros.

Ideal para complementar o seu PDI.

Ou ainda, se você é gestor ou responsável pela área de T&D e RH numa organização, saiba que a Keeps desenvolve plataformas de Educação Corporativa, com soluções inovadoras para a capacitação de colaboradores e gestão dos resultados de aprendizagem.

Nesse caso, um dos nossos especialistas pode ajudar você apresentando a plataforma da Keeps, com todas as ferramentas e funcionalidades.

Basta fazer um Teste Grátis.

Perguntas frequentes sobre Plano de Desenvolvimento Individual (PDI):

O que é o Plano de Desenvolvimento Individual (PDI)?

O Plano de Desenvolvimento Individual é uma maneira eficiente de coordenar a evolução das habilidades variadas de um colaborador, com o objetivo de acompanhar os progressos conectados à sua carreira e o aperfeiçoamento das competências que determinado cargo ou função exija. O PDI é direcionado tanto para o crescimento pessoal quanto profissional do colaborador.

Como elaborar um Plano de Desenvolvimento Individual (PDI)?

Para conseguir implementar um PDI na sua empresa, algumas etapas devem ser observadas:
1. mapear os sistemas e estabelecer metas;
2. fazer uma estimativa do orçamento necessário para o funcionamento do PDI;
3. montar uma planilha com os prazos para cada atividade a ser realizada;
4. observar o funcionamento da empresa em todos os seus aspectos;
5. quantificar as habilidades que devem ser apuradas e quais são consideradas eficazes;
6. ponderar as avaliações de retorno vindas dos gestores, dos clientes e dos próprios colaboradores;
7. ajustar o que precisa revisto, adequar as mudanças e enfim colocar o PDI em prática.

Guilherme Caetano
Escritor, curioso, leitor assíduo e bem informado. Consultor de Marketing Digital com foco em canais de Inbound. Especialista em SEO, analista de tráfego pago e copywriter.
Continue sua pesquisa
Pesquisar

Está com alguma dúvida? ENTRE EM CONTATO COM A GENTE!

Relacionados

Converse com nossos especialistas

Descubra como nossa plataforma pode transformar sua equipe e impulsionar o crescimento da sua empresa. Agende agora uma demonstração exclusiva e veja como podemos lhe ajudar: