Trilha de Aprendizagem: como desenvolver e impulsionar conhecimento
Início » RH » Trilha de Aprendizagem: como desenvolver e impulsionar conhecimento

Sem tempo para ler?

Desenvolvida para facilitar os caminhos da empresa e auxiliar na orientação de seus colaboradores, uma trilha de aprendizagem visa a expansão, a motivação e o alcance de metas. Tornando o aprendizado contínuo um hábito no seu ambiente de trabalho. Neste artigo, você conhecerá mais sobre esta ferramenta, sua aplicação e seus benefícios.

O que são trilhas de aprendizagem?

As trilhas de aprendizagem (também chamadas de trilhas de aprendizado ou trilhas do conhecimento) são conjuntos sequenciados de experiências complementares, criados para guiar estudantes no seu processo de aprendizado. Quando o gestor entende necessário capacitar colaboradores da sua empresa, por exemplo, habilidades e competências específicas podem ser trabalhadas de forma mais dinâmica e natural. Deixando de lado estilos de aprendizagem mecânicos e exaustivos, reunindo em um mesmo lugar as necessidades da instituição e as intenções dos colaboradores.

Qual o objetivo da trilha de aprendizagem?

O objetivo de uma trilha de aprendizagem na educação corporativa é a absorção de conhecimento como um processo ininterrupto, dando autonomia para que o estudante/colaborador crie sua própria rotina dentro do curso. Não busca atender exclusivamente às ambições da empresa, mas também às conveniências, necessidades, desempenhos e aspirações profissionais das pessoas.

Trilha de Aprendizagem

Podemos citar, como exemplo de trilha de aprendizagem, o profissional de marketing. Atuando numa empresa, esse profissional precisará desenvolver habilidades específicas para melhorar sua performance, especialmente, em casos de ascensão na carreira. A partir daí, o setor de treinamento e desenvolvimento (T&D) entra no processo como avalista de todas as necessidades indicadas pelo gestor de RH, ou, nesse caso, o líder da equipe de marketing. Com base nos dados fornecidos, cria-se uma trilha que contemple as carências anteriormente identificadas.

Qual o objetivo da trilha de aprendizagem?
O que são trilhas de aprendizagem?

Para o desenvolvimento de uma trilha de aprendizagem, podem ser utilizados os mais variados recursos: games, livros, vídeos, quiz, podcasts, aulas, workshops etc.

Utilizando as trilhas de aprendizagem na educação, o colaborador conseguirá combinar teoria e prática num mesmo ambiente até que se conclua a meta final. Observe uma trilha de aprendizagem dentro do Konquest, nosso produto LXP de educação corporativa:

Trilha de aprendizagem

Principais características das trilhas de aprendizagem

Para que seja capaz de cumprir o propósito ao qual se destina, uma trilha deve apresentar as seguintes características:

Ser flexível

É claro que uma trilha de aprendizagem deve possuir demandas obrigatórias com prazos e datas definidas, mas o importante neste sistema é que o estudante protagonize a sua rota de aprendizado. Por esse motivo, algumas das atividades expostas podem ser por ele selecionadas, de modo a auxiliá-lo na navegação de informações.

Valorizar a experiência

As trilhas abarcam todos os momentos da aprendizagem, ou seja, é importante que o ambiente observe o estudante antes, durante e após o aprendizado. É essencial que a experiência seja avaliada o tempo inteiro, valorizando especialmente o momento posterior, onde tudo o que foi ensinado será colocado em prática.

Diversificar os estímulos

Todos os recursos inovadores disponíveis podem ser inseridos nas trilhas de aprendizagem de modo a fomentar o conhecimento. Quanto mais sentimentos forem estimulados durante o processo, melhor será o resultado final.

Curva de aprendizagem
Principais características das trilhas de aprendizagem

Como fazer uma trilha de aprendizagem?

Na elaboração de uma trilha de aprendizagem para desenvolvimento de competências, cada percurso deve ser analisado e composto por ações estrategicamente planejadas. É feito um estudo inicial das atividades e habilidades a serem desenvolvidas e trabalhadas com foco no público-alvo. Entendemos o perfil do público e criamos atividades com diferentes graus de dificuldade e maneiras de quantificar os resultados obtidos na totalidade no processo.

Existem duas formas de se elaborar uma trilha de aprendizagem:

Linear — nesta forma, é exigido do estudante, ou colaborador, que siga uma sequência para que “destrave” os próximos conteúdos. Uma vez que é necessário que se cumpra um requisito antes de ser liberado acesso ao outro. Este modelo é mais utilizado quando a pauta precisa ser guiada a um objetivo direto. Neste caso, a trilha de aprendizagem é considerada completa quando todas as atividades são concluídas.

Trilha de aprendizagem

Agrupada — aqui, por não existir sequência pré-estabelecida, o estudante, ou colaborador, escolhe o conteúdo que deseja consumir de cada vez. É geralmente utilizada para temas que possuem muitas ramificações, onde os recursos disponíveis são manuseados com autonomia. Considera-se finalizada a trilha quando parte do objetivo é alcançado. Por exemplo, quando a meta estipulada pela empresa é que se conclua pelo menos 10 entre 15 tarefas.

Trilha de aprendizagem agrupada

A melhor forma para realização da trilha é escolhida pela equipe gestora, a depender do público-alvo para o qual será direcionada.

Por que fazer uma trilha de aprendizagem?

Quando realizamos trilhas de aprendizagem, é notável a melhora no desempenho dos colaboradores, o que influencia diretamente no resultado geral dos programas de treinamento. Por apresentar características que rompem com as formas convencionais de treinamento, as pessoas demonstram a tendência de estarem mais despertas e criativas no ambiente corporativo como um todo.

Alguns dos principais motivos são:

Autonomia de desenvolvimento — conforme mencionamos em etapas anteriores, as trilhas permitem que o próprio colaborador decida o conteúdo que vai buscar e o melhor momento para fazê-lo. Esse movimento de iniciativa própria auxilia na melhor absorção de conteúdo. Cabe à empresa fornecer os meios e oportunidades necessárias para a eficácia individual de cada colaborador.

Por que fazer uma trilha de aprendizagem?

Aprendizagem contínua — numa trilha de aprendizagem, com a possibilidade de separação do ensino em vários passos, é possível que o colaborador aprenda algo novo todos os dias, ao invés de tentar assimilar o conteúdo inteiro de uma só vez. A fragmentação do aprendizado é uma das formas de valorização da capacitação constante.

Maior engajamento — com a admissão de uma aprendizagem em multiplataformas, sem comprometimento algum na qualidade da trilha, é mais fácil manter o colaborador engajado, longe de métricas enfadonhas e ultrapassadas do ensino convencional. A absorção do conhecimento e o desenvolvimento de habilidades acabam sendo trabalhados de forma mais rápida.

Otimização dos processos de educação corporativa — investimentos mais acertados no custo-benefício em T&D e aprimoramento das etapas de desenvolvimento de carreira.

Como aplicar uma trilha de aprendizagem?

Uma vez que esteja definido o tipo de trilha e os temas a serem abordados, é chegado o momento de aplicá-la. Basta seguir os seguintes passos:

Entender o perfil da sua audiência

Antes de desenvolver uma trilha de aprendizagem, deve ser realizado um mapeamento para que seja possível conhecer qual o perfil do público para o qual será destinada. As metas e ambições da empresa dever estar alinhadas às metas e ambições dos seus colaboradores.

Como isso é possível? Através de avaliações que permitam que os gestores obtenham informações sobre seus colaboradores. Todas as características positivas dos profissionais devem ser averiguadas.

É também importante que sejam pontuadas capacidades, aptidões e graus de aprendizado. Junto a isso, a empresa deve estudar quais as intenções futuras dos colaboradores, tanto no que diz respeito ao negócio quanto às projeções pessoais.

Elaborar uma linha contínua com níveis de dificuldade alternados

Uma trilha de aprendizagem é um mecanismo meticuloso e ininterrupto, portanto é essencial que exista um alicerce através do qual sejam feitos nivelamentos, divididos entre os mais ou menos complexos e essenciais.

Todas essas etapas devem priorizar o mais importante: que o aprendizado aconteça de maneira natural e espontânea. Assim, as estratégias de inserção do conhecimento devem ocorrer ordenadamente, niveladas, práticas e eficazes.

Apresentar atividades diversificadas

Não basta que sejam desenvolvidas atividades significativas, é necessário também que sejam inovadoras. A tecnologia permite cada vez mais opções inventivas e sedutoras para o estudante, fazendo com que as aulas sejam cada vez menos monótonas e cansativas.

Como exemplo podemos citar: vídeos, jogos etc. Todos os recursos personalizados servem como impulsionadores para envolver e comprometer os colaboradores. Conhecendo a audiência é mais fácil direcionar o conteúdo, conectando-o às metas, objetivos e demais necessidades da empresa.

Desenvolver um storytelling

Contar uma história é uma estratégia de engajamento bastante eficaz. Obviamente, desde que seja uma história expressiva e significativa. O storytelling é uma ferramenta bastante pertinente para validar uma trilha de aprendizagem, seja qual for o seu modelo.

Por que? Porque o ato de contar uma história permite que o colaborador se conecte àquele tema, aliando-se ao personagem e sendo capaz de conectar suas experiências àquelas vivenciadas da história.

Sendo capaz de elaborar um vínculo entre a história e o ambiente organizacional, o colaborador assimila o conteúdo com mais disposição e rendimento.

Analisar as habilidades de conhecimento

Como saber se a trilha de aprendizagem está entregando soluções positivas? Analisando o desempenho de cada colaborador durante o treinamento e desenvolvimento.

Essa análise pode ser feita buscando conectar teoria e prática. Assim, observa-se pontos específicos como:

  • Concentração;
  • Assimilação;
  • Exposição;
  • Discernimento;
  • Coerência;
  • Estratégia;
  • Capacidade de decisão;
  • Solucionar contratempos.

Usar gamificação na trilha de aprendizagem

Trilhas de aprendizagem gamificadas são bastante utilizadas no meio corporativo. É um dos meios mais eficientes para o desenvolvimento, aprendizado e impulsionamento de produção dos colaboradores, especialmente por ser um método interativo e dinâmico.

Agora que você já sabe como elaborar e quais os benefícios de uma trilha de aprendizagem, o próximo passo é identificar os pontos críticos da sua organização e desenvolver uma atividade de capacitação através da implantação desta ferramenta.

Gostou do nosso conteúdo?

Aqui na Keeps, desenvolvemos plataformas LXP ideais para que a sua empresa desenvolva programas de treinamento eficientes. Baseados em metodologias ativas e com trilhas de aprendizagem que melhor se adaptem ao perfil dos colaboradores.

No Konquest, é possível reunir todos os seus cursos e treinamentos em um só lugar, com diversos formatos de conteúdo: artigos, podcasts, quiz, vídeos, pílulas de aprendizagem e muito mais. Além disso, a plataforma do Konquest agora possui integração com a Genially e H5P, para a criação de objetos de aprendizagem (OAs) interativos e com milhares de possibilidades.

Tudo isso, em um ambiente LXP, que permite a criação trilhas de aprendizagem sob medida para cada treinamento. Por onde os usuários possam interagir e aprender durante as jornadas de Educação Corporativa.

Faça um teste grátis e conheça nossas soluções inovadoras para impulsionar os seus treinamentos!

LXP

Alguma dúvida?​

Preencha os campos abaixo e pergunte a um especialista:

Relacionados