Entre em contato: +55 (48) 99169-2112

Gestão do conhecimento nas empresas: os novos desafios do T&D

 Por: |  Publicado em 26/01/2021 |  Atualizado em 25/03/2021 |  Tempo de leitura 11 minutos

Você já parou para pensar sobre a importância das tecnologias de ensino na gestão do conhecimento nas organizações? Se refletirmos um pouco, não é absurdo propor essa relevância, se tivermos acesso à noção básica de como a tecnologia está cada vez mais inserida na rotina das pessoas e de que formas isso influencia o nosso comportamento. Tanto a nível pessoal quanto profissional. Trata-se, portanto, do desempenho de um papel cada vez mais indispensável na forma como aprendemos, agimos e compartilhamos daquilo que somos conhecedores.

Neste post, iniciaremos com os conceitos da gestão do conhecimento organizacional, de modo a compreender as diferenças, por exemplo, entre dados, informações e conhecimento. Todo o possível para ajudar a estabelecer uma base para se pensar estrategicamente, elaborar, compartilhar e gerir os conhecimentos presentes na sua empresa. Por fim, explicaremos a crescente relevância do uso das tecnologias nas ações de Educação Corporativa, com foco nas soluções LXP. Continue conosco e confira também as soluções da Keeps para fazer a gestão do conhecimento na sua empresa com mais agilidade, eficiência e eficácia.  Boa leitura!

O que é Gestão do Conhecimento?

O termo Gestão do Conhecimento é derivado de “Knowledge Management” em inglês, que traduz uma área de atuação multifacetada e interdisciplinar, principalmente, no que é relativo à gestão do conhecimento nas empresas ou instituições de ensino de maneira estratégica. Podemos compreender também, como um núcleo de objetivos estratégicos pré-definidos e planejados, nos quais estão inseridas as ações de educação. Todavia, para criar, compartilhar e gerir conhecimento entre pessoas, é preciso conhecer os interesses e habilidades desses indivíduos. É necessário saber estruturar desde o projeto pedagógico até a análise de dados e informações gerados, que servirão de parâmetros para qualificar os conhecimentos gerados na organização. Aliás, se você não está convicto das diferenças entre dados, informações e conhecimento, esclarecemos a seguir:

Dados

Uma base da dados, nada mais é do que uma sequência de materiais, conceitos, fatos, pesquisas, estatísticas e muitos outros fatores que servem como parâmetro de análise para a produção de informações. Por exemplo, numa ação de treinamento e desenvolvimento utilizando softwares LXP, é possível coletar dados através de relatórios que possibilitam metrificar o engajamento, o desempenho, os índices de erros e acertos, o tempo de leitura de cada material. Em suma, os dados são uma série de fatores brutos que somados darão origem a um grupo de informações, que por sua vez, trarão sentido a esse grupo de dados.

Informações

Como acabamos de ver, as informações são o produto de um conjunto de dados, que unidos têm o objetivo de construir sentido, propósito e significado para o coletivo, no caso deste post, de uma empresa ou instituição de ensino. Na prática, isso significa a consolidação do caminho por onde é construído o conhecimento. Numa análise diagnóstica, se você filtra e analisa os dados corretamente, melhor será o conjunto de informações que servirá de instrumento para a construção, multiplicação e gestão do conhecimento.

Por exemplo, digamos que numa atividade utilizando plataforma LXP, uma empresa disponibilizou vídeos, infográficos e arquivos em PDF, para simplificar o onboarding de um colaborador. Nesses materiais hipotéticos, a empresa apresenta ou reforça sua missão, visão, propósito e valores. Para mensurar a compreensão desses materiais, a equipe de conteúdo elabora um Quiz com 20 perguntas sobre os assuntos disponibilizados. A soma do consumo desses materiais com a aplicação do Quiz, faz com que a empresa consiga fragmentar as informações oferecidas previamente em novos dados específicos. Esses novos dados, inicialmente, são fornecidos pelo Learning Analytics, através de relatórios personalizados. Esses relatórios, por sua vez, fornecem um novo conjunto de informações relativas ao desempenho, nível de engajamento e compreensão dos conteúdos de cada colaborador. Logo, essas novas informações servirão de parâmetro para análise, mensuração e gestão do conhecimento compartilhado e adquirido.

Conhecimento

O conhecimento, de modo simples, podemos conceber como a consequência prática da compreensão contextos e informações. A soma dos conjuntos de dados ajudam a formar informações que geram um pensamento analítico, que reflete em práticas intelectuais e comportamentais. Todavia, precisamos estar atentos aos seguintes conceitos de conhecimento:

  • Conhecimento tácito: este é o tipo de conhecimento prévio, não documentado ou oficialmente registrado. Trata-se de um conhecimento prático, proveniente daquilo o que as pessoas sabem e geralmente aprenderam na prática de uma rotina de trabalho.
  • Conhecimento explícito: já este conhecimento é aquele que entendemos como referência, ou oficiais. Ele é difundido através de livros, manuais, normas, registros de órgãos oficiais, base de dados estatísticos, etc. Esse tipo de conhecimento pode ser buscado ou acessado por qualquer colaborador, no caso das empresas, seja em plataformas de educação ou ambientes offline.

Exemplo de gestão do conhecimento numa empresa

Para seguir ilustrando o exemplo hipotético anterior, a partir dos dados e informações gerados pela atividade de onboarding de um novo colaborador, podemos supor alguns cenários:

I) Realizando o curso de onboarding no ambiente LXP, o colaborador poderá conhecer a organização e seus nortes institucionais antes mesmo do início da jornada. Desde já, ele começa a implementar essas noções na prática da sua rotina. Isto é, a partir das informações compartilhadas, ele estará hábil a compreender, discernir e agir de acordo com a missão, a visão, os valores e os propósitos da empresa. Enfim, aqui a definição de conhecimento advém justamente da percepção de uma prática consciente sobre o que foi desenvolvido no processo de ensino-aprendizagem.

II) Com os resultados do treinamento de onboarding em mãos, utilizando o Learning Analytics, os gestores poderão analisar os relatórios gerados e compreender desde já os conteúdos de maior dificuldade, facilidade ou engajamento, por exemplo. A partir disso, esse gestor poderá estabelecer parâmetros sobre o que esperar desse colaborador ou como impulsioná-lo a crescer dentro da organização, por exemplo. Com o tempo, o gestor terá uma base comparativa para análise de desempenho, engajamento, habilidades e pontos a serem superados, entre outros. Tudo o que é necessário para fazer uma gestão do conhecimento assertiva, com objetivos estratégicos bem definidos, a fim de estabelecer a relação mais transparente possível entre as partes. O que podemos notar, é muito mais do que transformar um conhecimento tácito em conhecimento explícito, ou vice-versa. Trata-se de compreender ambos os conhecimentos enquanto complementares e saber gerenciá-los da maneira mais efetiva ou produtiva para todos.

Baseados então nesses conceitos e práticas apresentadas, podemos definir a gestão do conhecimento organizacional como o processo de elaborar, desenvolver, compartilhar, utilizar e gerenciar os conhecimentos produzidos nas empresas.

Qual é o principal objetivo da gestão do conhecimento?

De forma sumária, podemos conceituar a gestão do conhecimento como a conexão das fontes desse conhecimento com as demandas práticas de aplicação do mesmo. Por exemplo: o que um colaborador do time de vendas pode aperfeiçoar para desempenhar melhor a sua função? Onde e de que forma ele pode encontrar e consumir esse conhecimento? Gerenciar o conhecimento organizacional é trabalhar constantemente pela confluência desses fatores, encontrando a melhor resposta possível para essas perguntas.

A fim de cumprir com seu objetivo, a gestão do conhecimento precisa atender a alguns princípios:

Estruturar o conhecimento organizacional

Essa etapa requer um diagnóstico bem elaborado e um planejamento estratégico para estruturar os conhecimentos que serão desenvolvidos e impulsionados pela organização. Ou seja, conhecimentos explícitos que poderão ser apresentados de diversas formas, como documentos, gráficos, artigos PDF, manuais, relatórios, base de dados, etc.

Expandir o acesso ao conhecimento

Esse princípio resume-se a encontrar e implementar os meios para promover a consolidação do conhecimento organizacional. Em outras palavras, conectar as pessoas com o conhecimento. Isso pode ocorrer de diversas maneiras, dentre elas, com a implementação de uma Universidade Corporativa.

Desenvolver o ambiente organizacional de ensino

Isso pode ser feito, por exemplo, utilizando uma plataforma LXP, como citado até aqui, para dar o suporte à aprendizagem e ser a ferramenta para compartilhar o conhecimento organizacional. Nesse caso, o software de ensino será, ao mesmo tempo, o ambiente de consolidação do aprendizado e a principal ferramenta para fazer a gestão do conhecimento nas empresas.

Utilizar o conhecimento disponível

Este princípio, especialmente, requer a valorização do capital intelectual de uma empresa, utilizando o conhecimento como fonte de inovação e melhoria nos processos organizacionais. O capital intelectual serve para reforçar a imagem da marca no mercado de trabalho, tanto entre concorrentes quanto entre profissionais. Além disso, esse valioso ativo pode ser útil para gerar novas receitas, encontrar novas dinâmicas para a resolução de problemas, reduzir custos com treinamentos, etc. É importante sempre lembrar que o diferencial de uma marca se sustenta pelos profissionais que a conduzem e a desenvolvem diariamente.

Portanto, saber utilizar e fazer a gestão do conhecimento disponível, muito mais do que valor agregado, significa na prática, aumentar a competitividade e assumir uma posição de referência no mercado.   

Qual é a importância da tecnologia na gestão do conhecimento?

Não existe um modelo único de  gestão de conhecimento e são diversas as tecnologias que podem auxiliar nesse processo. No entanto, prosseguindo com o exemplo trazido neste post, aqui vamos abordar a utilização de uma plataforma de aprendizagem LXP para essa finalidade. Essas plataformas educacionais são ambientes virtuais de ensino, focados na gestão do conhecimento e da experiência de aprendizagem das pessoas. Elas são valiosas ferramentas para a criação e operacionalização de treinamentos, bem como para a mensuração dos resultados e planejamento estratégico das ações de Educação Corporativa. Ou seja, estão, atualmente, entre as melhores soluções tecnológicas para se fazer uma gestão do conhecimento eficiente e eficaz.

Gestão do conhecimento em software LXP

Do ponto de vista estrutural, estamos falando de softwares de ensino, com foco na criação de mecanismos pedagógicos inovadores, os quais promovem a aprendizagem ativa e facilitam a transmissão e gestão do conhecimento organizacional. Além disso, sob perspectiva da gestão de RH e da coordenação do time de T&D, são plataformas de aprendizado mais custo-efetivas em relação aos valores e o tempo demandados, principalmente, no comparativo com treinamentos “convencionais”.

Uma plataforma de aprendizagem consegue proporcionar uma experiência de ensino focada nas pessoas, utilizando da tecnologia para disponibilizar soluções educacionais simples, engajadoras e colaborativas. Entre essas soluções, podemos destacar as principais tendências em Educação Corporativa, como as plataformas LXP, os ambientes gamificados e o uso do microlearning como estratégia de treinamento.

Soluções da Keeps para a Gestão do Conhecimento!

A plataforma LXP é, sem dúvidas, uma das principais tendências em tecnologia da educação. E foi com esse pensamento de vanguarda, que a Keeps desenvolveu o Konquest, com objetivo de simplificar a autoria de cursos e estimular multiplicadores e a gestão do conhecimento. Tudo de um modo simples e intuitivo, semelhante a um “Netflix da Educação Corporativa”. Assim, o Konquest atrai gestores e usuários às suas soluções inteligentes, estimulando o social learning e promovendo a aprendizagem ativa.

Konquest ainda combina a facilidade na criação de cursos com a leveza da usabilidade para o aprendizado. Com um ensino personalizável, é possível transformar qualquer objeto de aprendizagem em conhecimento: uma maneira simples e ágil de criar cursos com todos os tipos de conteúdo. Por fim, essa inovadora solução da Keeps auxilia os profissionais gestão do conhecimento organizacional, através dos relatórios personalizados do Learning Analytics diretamente na plataforma.

Learning Analytics

Essa ferramenta utiliza Big Data para coletar dados de aprendizagem e realizar análises relacionadas ao desempenho educacional das pessoas. Esse enorme conjunto de informações é reunido a partir das interações dos usuários no Konquest, com objetivo de promover a aprendizagem ativa e gerar mais conhecimento em menor tempo. A soma desses fatores traz o grande diferencial da ferramenta na gestão do conhecimento, porque é capaz de mensurar, analisar e gerenciar os resultados das ações de treinamento e desenvolvimento (ROI de T&D).

Conheça as soluções da Keeps para a Gestão do Conhecimento e acompanhe de perto o impacto da tecnologia da educação no processo de ensino-aprendizagem. Nosso foco é oferecer uma experiência simples e completa de capacitação com inteligência artificial, mobilidade, gamificação e design intuitivo.

Solicite uma demonstração gratuita agora mesmo!

Escritor de ficção, leitor assíduo e bem informado.
Criador de conteúdo para blog posts com SEO na Keeps.

Venha conhecer nossas soluções.

Relacionados

Deixe o seu contato para a nossa newsletter!

Deixe o seu contato para a nossa newsletter!

Todo mês temos um conteúdo exclusivo para você.

Muito obrigado!

×